ALIMENTE SEU CONHECIMENTO - FÓRUM DE INFORMAÇÕES E NOTÍCIAS RELACIONADAS A ALIMENTOS E SEUS FABRICANTES


Por que se teme a sexta-feira 13?

Compartilhe
avatar
Borg
Admin

Mensagens : 774
Data de inscrição : 08/08/2014

Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Borg em Ter Out 14, 2014 11:06 pm




Na madrugada de 13 de Outubro de 1307 (uma sexta-feira), o Grão-Mestre da Ordem dos Templários Jacques Demolay e alguns de seus companheiros foram capturados e lançados nas masmorras por ordem do Rei Filipe IV. Durante sete anos os nobres cavaleiros foram torturados constantemente enquanto Filipe gerenciava a força e influência política do papa Clemente V para condená-los e confiscar suas riquezas. Finalmente, em 18 de Março de 1314, após se negar a denunciar seus companheiros mesmo sob tortura, aos 70 anos de idade Jacques Demolay foi condenado à morte na fogueira. Enquanto as chamas consumiam seu corpo, Jacques intimou aos seus três algozes, a comparecer diante do tribunal de Deus, amaldiçoando os descendentes do então rei de França, Filipe IV, o belo. O primeiro a morrer foi o Papa Clemente V, logo em seguida o Chefe da guarda e conselheiro real Guilherme de Nogaret e no dia 27 de novembro de 1314 morreu o rei Filipe IV com seus 46 anos de idade. Todos eles sob circunstâncias misteriosas...


Templários... um tema de vasta riqueza histórica, que dá um excelente tópico...
avatar
morpheus

Mensagens : 276
Data de inscrição : 29/09/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por morpheus em Qua Out 15, 2014 12:08 am

Tai algo que sempre quis debater, mas nunca tive conhecimento para tanto, vou acompanhar esse tópico.
avatar
victor andrade

Mensagens : 352
Data de inscrição : 02/10/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por victor andrade em Qua Out 15, 2014 11:07 am

O que são os cavaleiros templários? como eles se formaram? sei que tem algo a ver com os maçons não é?

Tem semelhança ou ligação com os iluminatis??
avatar
coltmiller

Mensagens : 131
Data de inscrição : 21/08/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por coltmiller em Qua Out 15, 2014 11:14 am

victor andrade escreveu:O que são os cavaleiros templários? como eles se formaram?  sei que tem algo a ver com os maçons não é?

Tem semelhança ou ligação com os iluminatis??

Os cavaleiros Templarios é alguma coisa que não sei definir que é filiado a maçonária, eles têm a crença em um ser superior, não tem religião principal, vc pode ser de qlq religião. Uma das teorias sobre a origem da Maçonaria sustenta que esta fraternidade possui descendência direta dos Cavaleiros históricos do final do século XIV, que teriam se estabelecido na Escócia ou em outros países onde a supressão dos Templários não foi cumprida. Embora essa teoria não possa ser descartada, ela é descreditada por falta de evidências comprobatórias, tanto por parte da Maçonaria como por parte dos historiadores.

Já os iluminatis eu não sei bemm o que é, talvez alguém aqui saiba explicar melhor
avatar
Borg
Admin

Mensagens : 774
Data de inscrição : 08/08/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Borg em Qua Out 15, 2014 11:31 am

Hum... começou, eheheheh...

Vamos fazer um debate legal, de alto nível e visando agregar conhecimento dentro do que pode ser dito.
avatar
Mazikamno

Mensagens : 232
Data de inscrição : 23/09/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Mazikamno em Qua Out 15, 2014 1:25 pm

Eu não sou Maçon. Imagino que o Borg seja tongue falou em Loja, instrução, Mestre em outro tópico. Conta aí pra nós Borg, hehe.

Mas eu acredito que além de uma questão objetiva. Essa história traz também muita subjetividade, e simbolismo, tanto por conta dos cavaleiros como também em virtude dos números empregados no texto.
Ex.
O número 13, que pode predefinir uma curva ou uma reta.
O número 7 em referência as leis que nos influenciam.
Não sei qual é o pé que se encontra a Maçonaria atual, mas penso que devem estar por dentro de algo similar a isso, caso contrário, já era.

avatar
Poseidon

Mensagens : 325
Data de inscrição : 19/09/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Poseidon em Qua Out 15, 2014 4:00 pm

Salvo engano, os "iluminatis"  foi um movimento de curta duração em que eles mesmo se intitulavam livre-pensadores, os iluminaodos, ou uma parte mais extrema do iluminismo


_________________
O riso é a última fronteira
avatar
Tandra
Admin

Mensagens : 529
Data de inscrição : 08/08/2014
Idade : 28

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Tandra em Qua Out 15, 2014 5:21 pm

Mazikamno escreveu:Eu não sou Maçon. Imagino que o Borg seja  tongue  falou em Loja, instrução, Mestre em outro tópico. Conta aí pra nós Borg, hehe.

Mas eu acredito que além de uma questão objetiva. Essa história traz também muita subjetividade, e simbolismo, tanto por conta dos cavaleiros como também em virtude dos números empregados no texto.
Ex.
O número 13, que pode predefinir uma curva ou uma reta.
O número 7 em referência as leis que nos influenciam.
Não sei qual é o pé que se encontra a Maçonaria atual, mas penso que devem estar por dentro de algo similar a isso, caso contrário, já era.


seu avatar é meio obscuro, rsrsrs... me lembra os iluminatis, tem um triangulo velado ali não tem??
rsrsrs


_________________
Dalla Riva Consultoria de alimentos. Nossas Soluções em consultoria.
Acesse: www.dallariva.com.br 
avatar
Borg
Admin

Mensagens : 774
Data de inscrição : 08/08/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Borg em Qua Out 15, 2014 6:38 pm

Illuminatis, Maçonaria, Templários... só falta Rosacruz pra festa ficar completa, eheheheh
avatar
Mazikamno

Mensagens : 232
Data de inscrição : 23/09/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Mazikamno em Qua Out 15, 2014 6:46 pm

Tandra escreveu:
seu avatar é meio obscuro, rsrsrs... me lembra os iluminatis, tem um triangulo velado ali não tem??
rsrsrs

Na verdade é só um cartaz de propaganda, mas tem sim algum significado esotérico. hehe.
Mostra um anjo e um demônio com as mãos sobre um círculo, e dentro do círculo, um eneagrama e este faz referência ao homem, mas não só a ele.
Esse desenho diz muito.

*Sobre o eneagrama, já estão popularizando o termo e o conceito disso.

Mas como falei, popularizando. E eu sou contra a popularização, pois penso que o pré-requisito para determinados temas é muito importante. Penso que quando algo se torna tão exotérico a ponto de popularizar de forma banal, perde-se muito da essência, rendendo variadas interpretações, beirando sempre para o julgamento parcial, seja o de uma caça às bruxas, seja de um louvor e fanatismo equivocado, ou então desde um "Deus me livre, tô fora" até "isso é a onda do momento".

A princípio o foco é sempre tentar ser imparcial em tudo, sempre lembrando dá máxima de que "o que está em cima é o mesmo que está embaixo!"
avatar
Mazikamno

Mensagens : 232
Data de inscrição : 23/09/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Mazikamno em Qua Out 15, 2014 6:54 pm

Borg escreveu:Illuminatis, Maçonaria, Templários... só falta Rosacruz pra festa ficar completa, eheheheh

Eu estou por fora de todas. Alguém tem um convitinho aí, heheh farao
avatar
Borg
Admin

Mensagens : 774
Data de inscrição : 08/08/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Borg em Qua Out 15, 2014 8:02 pm

É um assunto muito interessante, porém muita besteira é inserida nas discussões.

É necessário ter mente aberta no sentido de não lidar com esse tipo de conhecimento como se fosse religião, e de entender que muito do que será discutido vem de uma época onde o discernimento e a sociedade eram completamente diferentes do que entendemos desde o início do século 20...
avatar
Mazikamno

Mensagens : 232
Data de inscrição : 23/09/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Mazikamno em Qua Out 15, 2014 9:12 pm

Borg escreveu:É um assunto muito interessante, porém muita besteira é inserida nas discussões.

É necessário ter mente aberta no sentido de não lidar com esse tipo de conhecimento como se fosse religião, e de entender que muito do que será discutido vem de uma época onde o discernimento e a sociedade eram completamente diferentes do que entendemos desde o início do século 20...

Eu também penso assim. E é isso que eu entendo como imparcialidade.

avatar
morpheus

Mensagens : 276
Data de inscrição : 29/09/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por morpheus em Qui Out 16, 2014 11:39 pm

Quando você se propõe a julgar ou conhecer algo a primeira coisa que se deve saber é que é preciso de despir de conceitos e pré-conceitos, e, principalmente não olhar com os nossos olhos e sim com o olhos de quem esta sobre o estudo, com o olhar da época. Conhecer tentando no mínino se colocar no lugar daquela pessoa ou daquela instituição, feito isso, ai sim, vc esta apito a prosseguir na sua jornada evolutiva de conhecimento.

Em relação ao tema de maçonaria/iluminatis/rosacruzes/cavaleiros templário a única coisa que tenho certeza é que há muito mais sobre esses "mistérios" entre o céu e a terra que possamos mensurar.

Eu sou amante desse assuntos, embora não tenha muito conhecimento para debates
avatar
Borg
Admin

Mensagens : 774
Data de inscrição : 08/08/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Borg em Sex Out 17, 2014 1:35 am

Vamos começar falando um pouco sobre os Templários...  

Non Nobis Domine, Non Nobis, Sed Nomini Tuo ad Gloriam!
( Não por nós Senhor, não por nós, mas para a glória de Teu nome! )

No ano de 1071 os turcos muçulmanos tomaram Jerusalém. Na Europa, a Igreja Católica organizou expedições militares em direção à Terra Santa, com o objetivo oficial de reconquistar os territórios sagrados de sua religião. Essas expedições foram denominadas Cruzadas, pelo fato de que seus peregrinos usavam uma cruz nas vestimentas e bandeiras. No ano 1118, Jerusalém já era um território cristão. Assim, nove monges veteranos da primeira Cruzada, entre eles Hugh de Payen, dirigiram-se ao rei de Jerusalém Balduíno I e anunciaram a intenção de fundar uma ordem de monges guerreiros.


Dentro de suas possibilidades, se encarregariam da segurança dos peregrinos que transitavam entre a Europa e os territórios cristãos do Oriente. Os membros fizeram votos de pobreza pessoal, obediência e castidade. Os denominados Pobres Cavaleiros de Cristo se instalaram numa parte do palácio que foi cedida por Balduíno, um local que outrora foi o Templo de Salomão. Por isso ficaram conhecidos como Cavaleiros do Templo, ou Cavaleiros Templários.


Apenas em 1127 no Concílio de Troyes, o Papa Honório II outorgou a condição de Ordem, concedendo um hábito branco com uma cruz vermelha no peito. O símbolo era um cavalo montado por dois soldados, numa alusão a pobreza. A Ordem desenvolveu uma estrutura básica e se organizou numa hierarquia composta de sacerdotes até soldados.


A esta altura, constituída não apenas por religiosos mas principalmente por burgueses, os Templários se sustentavam através de uma imensa fortuna que provinha de doações dos reinados.


Durante um período de quase dois séculos, a Ordem foi a maior organização Militar-Religiosa do mundo. Suas atividades já não estavam restritas aos objetivos iniciais. Os soldados templários recebiam treinamento bélico; combatiam ao lado dos cruzados na Terra Santa; conquistavam terras; administravam povoados; extraíam minérios; construíam castelos, catedrais, moinhos, alojamentos e oficinas; fiscalizavam o cumprimento das leis e intervinham na política européia.


Além de aprimorarem o conhecimento em medicina, astronomia e matemática. Houve até mesmo a criação de um sistema semelhante ao dos bancos monetários atuais. Ao iniciar a viagem para a Terra Santa, o peregrino trocava seu dinheiro por uma carta de crédito nominal que lhe era restituída em qualquer posto templário. Assim, seus bens estavam seguros da ação de saqueadores. O poder dos Templários tornou-se maior que a Monarquia e a Igreja.


As seguidas derrotas das Cruzadas no século XIII, comprometeram a atividade principal dos Templários, e a existência de uma Ordem Militar com tais objetivos já não era necessária. Neste mesmo período, o Rei Felipe IV - O Belo - comandava a França. Felipe IV devia terras e imensas somas em dinheiro aos Templários. Assim, propôs ao arcebispo Beltrão de Got uma troca de favores. O monarca usaria sua influência para que o religioso se tornasse Papa.

Por sua vez, Beltrão de Got se comprometeria a exterminar a Ordem dos Templários assim que alcançasse o papado. No ano de 1305, Beltrão de Got sobe ao Trono de São Pedro como o Papa Clemente V. Neste momento tinha início as acusações contra os cavaleiros e a implacável perseguição em toda a Europa.


O processo inquisitório contra os Templários se estendeu por vários anos sob torturas e acusações diversas, como heresia, idolatria, homossexualismo e conspiração com infiéis. Por volta do dia 20 de setembro de 1307 Filipe VI enviou cartas lacradas a todos os senescais do reino com ordens expressas de que somente fossem abertas na noite de quinta-feira 12 de outubro. Quando as cartas foram simultaneamente abertas, a ordem expressa do rei resumia-se em: os Templários são acusados de graves heresias e crimes.


Na madrugada de sexta-feira 13 de outubro de 1307 todos foram aprisionados e postos a ferros. Daí a crença de que toda a sexta-feira 13 é um dia de azar. Na França, o último Grão-Mestre da Ordem, Jacques de Molay, e outros 5 mil cavaleiros foram encarcerados pelos soldados do Rei Felipe. No entanto, ao tentar apoderar-se do precioso segredo que a Ordem dos Templários possuía no seu tesouro, Filipe VI encontrou uma decepção: a frota de navios Templários ancorados na França desaparecera misteriosamente para nunca mais ser vista.


Finalmente, em 18 de março de 1314, Jacques de Molay, aos 70 anos de idade, foi levado à fogueira da Santa Inquisição às margens do Rio Sena, em Paris. Foram essas as suas últimas palavras:

"NEKAN, ADONAI !!! CHOL-BEGOAL!!! PAPA CLEMENTE... CAVALEIRO GUILHERME DE NOGARET... REI FILIPE: INTIMO-OS A COMPARECER PERANTE AO TRIBUNAL DE DEUS DENTRO DE UM ANO PARA RECEBEREM O JUSTO CASTIGO. MALDITOS! MALDITOS! TODOS MALDITOS ATÉ A DÉCIMA TERCEIRA GERAÇÃO DE VOSSAS RAÇAS!!!"

Clemente V morreu trinta e três dias depois e o Rei Felipe, o Belo, em pouco mais de seis meses. Dizem as lendas, que a frota se dirigiu para Portugal, onde sabia contar com forte proteção.

Perante as ordens do Papa no sentido de extinguir os Templários e executar os seus cavaleiros, o rei D. Dinis instaurou um processo de inquérito de forma a averiguar sobre a culpa ou inocência desses cavaleiros. O inquérito concluiu, (como seria de esperar), que os cavaleiros da Ordem dos Templários estavam inocentes de todas as acusações. Em virtude disso, nenhuma morte ocorreu.

Mais que isso, o rei português resolveu o assunto com aguda habilidade diplomática: Retirou todos os bens materiais da Ordem dos Templários, e transferiu-os para uma nova ordem que criou ao abrigo da coroa Portuguesa. Deu a essa nova ordem o nome de Ordem de Cristo, cujo o símbolo era precisamente a famosa Cruz da Cristo vermelha num fundo branco.


Em 1319, nascia assim a Ordem de Cristo, provavelmente um dos últimos redutos na Europa onde os templários continuaram a existir e a viver na persecução das suas santas metas, e conservando os seus míticos segredos. Contam as lendas que os templários estiveram ocultamente envolvidos nas aventuras marítimas portuguesas. Há mapas incluindo o Brasil desde 1389.


Infante D. Henrique, Pedro Alvares Cabral, Vasco da Gama entre outros, foram todos eles membros da Ordem de Cristo, ou seja: Templários. As naus que aportaram no Brasil traziam a bandeira desta nova Ordem. Pedro Álvares Cabral seria não apenas um navegador, mas um dos altos comandantes da Ordem de Cristo, que fez uso dos mapas e cartas de navegação templárias para "descobrir" o Brasil.

Rezam as lendas que a Ordem dos Templários assim se instalou no Brasil ate aos dias de hoje. Inúmeros símbolos de municípios no Brasil possuem ainda hoje ícones que são de inspiração templária. Atualmente, os Templários estão presentes em diversos países, onde se dedicam à atividades em prol do bem-estar moral e material da civilização e progresso do ser humano. Propugnam a ajuda a orfanatos, o amparo à velhice e às crianças desamparadas, o estímulo moral e material às ciências e às artes em geral. E, acima de tudo, sendo uma ordem de caráter ecumênico, não faz distinção de raça, credo, nacionalidade e de estirpe, respeitando em qualquer caso, as leis e as tradições de todos os povos e de todos os países por onde estendem suas atividades.


Non Nobis Domine, Non Nobis, Sed Nomini Tuo ad Gloriam!
(Salmo de David e Lema dos Templários)
avatar
Borg
Admin

Mensagens : 774
Data de inscrição : 08/08/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Borg em Dom Out 19, 2014 11:40 am

A última figura traz muito mistério, pq tudo isso se baseia em livros, documentos, escritos... várias vertentes para a trajetória dos cavaleiros templários são aceitas, cabe ao interessado buscar este conhecimento sem temer o que pode descobrir.
avatar
Mazikamno

Mensagens : 232
Data de inscrição : 23/09/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Mazikamno em Dom Out 19, 2014 12:17 pm

Borg você é Maçom?
avatar
Borg
Admin

Mensagens : 774
Data de inscrição : 08/08/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Borg em Dom Out 19, 2014 1:15 pm

Mazikamno escreveu:Borg você é Maçom?


Digamos que sou um cara que dedica parte do meu tempo buscando melhorar como ser humano, especialmente no quesito moral, pra que um dia lá na frente... eu possa me sentir tomando decisões justas e perfeitas...
avatar
Tandra
Admin

Mensagens : 529
Data de inscrição : 08/08/2014
Idade : 28

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Tandra em Dom Out 19, 2014 1:26 pm

Nao sei para que esse mistério todo. Rs. Sim ele é.


_________________
Dalla Riva Consultoria de alimentos. Nossas Soluções em consultoria.
Acesse: www.dallariva.com.br 
avatar
Mazikamno

Mensagens : 232
Data de inscrição : 23/09/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Mazikamno em Dom Out 19, 2014 5:09 pm

hehe, valeu Tandra. Tua resposta me fez pensar o porquê da resposta do Borg.

Eu não sei o que significa maçom, mas o Borg deve saber. Talvez se intitular como Maçom não seja adequado quando se respeita a origem da linguagem e das letras.

Por exemplo se alguém perguntasse a um ateu marxista(aquele que não acredita na existência de Deus).
Ei você é ateu?
E ele respondesse: "sim sou ateu".
Ele estaria se contradizendo, afinal se ele é Ateu então ele não acredita em Deus, se ele não acredita em Deus, então não tem nem como ele usar o termo ateu para denominar ele mesmo.
Porque se assim fizesse ele estaria dizendo algo como: "eu sou uma pessoa que não acredita na existência de um personagem que não existe." E na lógica, não com não é sim!

Levando ao pé da letra a palavra, o termo ateu no sentido marxista pode ser usado por um terceiro que acredita em Deus para denominar aquele que não acredita. Então faz sentido.

É um exemplo tosquinho mas serve.

Outra hipótese(o que um maçom enrolando pode fazer hein, hehehe) tongue : Talvez ele tenha compromisso com a verdade e seria mentira se ele se auto-denominasse maçom. Assim como se eu dissesse que "eu sou" sem ainda "ser".

Talvez seja por algo semelhante que fez com que o Borg não se auto-denominasse maçom ou talvez tenha sido apenas enrolação mesmo, hehehe, mas isso não desqualifica meus pontos de vista citados acima pois fazem sentido, e já aproveitei para mencionar, hehe

Fora isso, uma pergunta ao Borg:

É impressão minha ou a maçonaria está tentando se popularizar um pouco mais, pra fazer o povão perder o medo?

Venho observando isso nos últimos anos. Aqui na minha cidade por exemplo. Um coronel aposentado da polícia militar, lançou um livro sobre a maçonaria(sim eu sei que tem vários livros sobre e este é mais um), mas me surpreende alguém daqui, tida como autoridade, querer explanar que é maçom, a maçonaria e fazer cerimônia de lançamento do livro.

Outra coisa que vi foi que no dia das mães eles convidaram à loja as mães dos maçons mas também foram homens que nem fazem parte da maçonaria para conhecer o templo. Daí entra lá, vê dois, três espaços e concluí que não é nada demais sendo que tem sim umas coisinhas secretas.

Outra coisa são os tópicos de internet, como este aqui. Já tinha um tópico em outro fórum, onde um maçom abriu para digamos "popularizar" e contar na medida do possível.

E então?
avatar
Borg
Admin

Mensagens : 774
Data de inscrição : 08/08/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Borg em Dom Out 19, 2014 8:40 pm

O grande problema para um Maçom poder falar, é a repercussão.

Muita gente simplesmente não aceita a existência de um grupo de pessoas que coloca regras para que outras pessoas possam frequentar o grupo... e a reação a estas regras acaba no final justificando a existência delas.

Quando se falava em Maçonaria no Brasil, sempre associavam a uma religião, a uma seita, a algo que por ser "secreto", é maligno, conduzido por pessoas certamente maquiavélicas, egoístas e ruins em essência... pq se não fossem assim, certamente não estariam em algo do tipo...  a igreja sempre teve sérios problemas com a Maçonaria... mas estou falando da igreja medieval, pré-medieval, da época em que igreja e estado se confundiam... naquela época era mais do que normal rolar problema entre elas, pq a Maçonaria era repleta de integrantes de grande influência em todos os campos, pois era um lugar onde pessoas de notório saber se encontravam para aprimorar ainda mais... e uma pessoa desse nível é naturalmente aversa a qualquer tipo de manipulação pelo medo, dogma, desconhecido ou coisa do tipo, algo que a igreja-estado fazia com extrema frequência...  Assim como a Maçonaria, a igreja é tradicionalista, ou seja, ela mantém os costumes originais ativos mesmo com o passar das eras... isso significa que a birra da igreja com os Maçons perdurou mesmo depois que a igreja deixou de ser estado e ficou apenas no campo religioso.... somente no final da década de 70 a igreja começou a rever seus conceitos a respeito, talvez por descobrir que uma parte da galera do Vaticano abraçou a Maçonaria sem que ninguém soubesse até então...

Hoje a Maçonaria é vista como uma sociedade discreta, onde seus membros mantém os mesmos votos e juramentos feitos desde quando ela foi criada, mantém o tradicionalismo da época... mas hoje existe uma certa liberdade para se falar um pouco do que é ser um Maçom, sobre o que se faz em linhas gerais dentro de uma loja... mesmo sob risco de ser alvo de ignorantes, asseclas da revolta alheia e, acima de tudo, de pessoas que por algum motivo acham que se é secreto, é porque é ruim.

Qualquer um pode ser Maçom, basta se encaixar em alguns requisitos básicos e, acima de tudo, querer de fato praticar o que se aprende e massifica nas reuniões... praticar em sua família, em seu trabalho e em seu coração e mente. Maçonaria nunca foi e nunca será religião. Ela é um modo de resgatar o que o homem tem de melhor, mas que deixa cair em desuso por conta da sociedade, do progresso, da falta de esperança e de fé... na sociedade como um todo.
avatar
Mazikamno

Mensagens : 232
Data de inscrição : 23/09/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Mazikamno em Dom Out 19, 2014 9:29 pm

Então está tendo mesmo uma popularização. Não completa, mas apenas para tirar o medo superficial.

No caso, eu não tenho medo, e não julgo a maçonaria, nem como religião nem como algo do capeta e e nem como nada, apenas suspeito de algumas coisas, mas não tenho certeza de nada.

Mas minha linha de pensamento foi sempre nessa mesma que você colocou, e por isso entendo perfeitamente o que você quis dizer.
Por exemplo(gosto de exemplificar, hehe):
Digamos que na loja exista um quarto(não sei o termo que usam) e neste quarto tem imagens relacionadas a morte. Para o maçom seria para não esquecer o fim. Para uma pessoa qualquer aquilo poderia representar rituais macabros.

Um ritual de sangue também poderia ser mal interpretado, mas pelo lado maçom essa seria a única maneira de ter um contato com o além, não vejo mal nisso. Estou falando apenas como exemplo,não tome nada como verídico.

Outro exemplo, se usassem substâncias alucinógenas nas reuniões apenas para fim de estudo da personalidade e como experiência para desenvolvimento do ser, também seria perfeitamente normal. Claro que muita gente iria achar um absurdo.

Também entendo que para manter uma doutrina antiga, rituais e até mesmo o ensinamento original(o começo), é imprescindível que não se popularize, porque é a popularização que gera a heresia.

Enfim eu entendo e entenderia todos os meio empregados para se chegar a um fim, não julgaria de maneira alguma. Mente aberta é meu lema.

Só que observando alguns maçons, me decepciona o fato de fazerem partes de uma doutrina secreta e seus valores estarem meio que deturpados.

Parecem que existem maçons que não desenvolveram bem este lado do ser. Tem personalidade forte, mas não tem compreensão no coração e vivência para entender determinados temas. Aí começo a pensar que a maçonaria virou algo que considera evolução, sinônimo apenas de crescimento financeiro. Sim o crescimento financeiro deve existir, mas não só isso.

E a partir disso, baseando-me em exemplos deste modo de ser de alguns maçons me confundo mais ainda, e questiono o que seria a maçonaria. Será mesmo que resistiu ao tempo e as leis do universo? Ou será que sempre foi esta a meta? Já que os templários a grosso modo buscavam posses.

Seria uma filosofia onde primeiro se resgata a confiança do maçom e depois tudo o que for referente a este plano mundano lhe será acrescentado? E de contra partida a evolução em si, o que interessa realmente, o desenvolvimento dos corpos, fica por último, no fim da vida e olhe lá?

avatar
Borg
Admin

Mensagens : 774
Data de inscrição : 08/08/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Borg em Dom Out 19, 2014 10:38 pm

O termo correto ao meu ver, não seria popularização, e sim desmistificação.... A  Maçonaria nunca se popularizará, pq ela perderia a sua essência e o tradicionalismo seria ameaçado pelos novos tempos...

Uma forma prosaica de entendimento do sentido da Maçonaria é: Pensa em uma coisa que vc acha correta, legal.. algo que te faz sentir bem, que faz parte da sua educação.. mas que quando vc faz uso dessa qualidade ou dessa ação, vc é mal interpretado, as pessoas tentam te passar pra trás, vc vira motivo de chacota... pq simplesmente a sociedade atual prega mas não valoriza mais estas coisas...  tipo vc devolver dinheiro que achou na rua, ser uma pessoa de palavra, confiar no próximo, agir querendo apenas o bem da pessoa, não colocar interesse pessoal na frente das coisas...  a gente sabe que a sociedade prega o valor destas ações, mas na prática não existe valorização no país pq isso aqui é uma "lei de Gérson de 8.511.965km2"...  A Maçonaria é um local onde as pessoas valorizam, desenvolvem e praticam estas ações sem temores comuns na sociedade atual... pq vc está entre irmãos.

O simbolismo dos rituais, sobretudo o de iniciação, tenta copiar os antigos rituais medievais, onde a exposição a uma série de situações tem o intuito de mostrar todas as etapas que um iniciado precisará cumprir para se tornar um mestre Maçom, além das muitas mais que ele irá praticar e desenvolver durante toda a sua vida...  A Maçonaria não trabalha com sangue, animais, carnificina, sacrifícios ou qualquer coisa do tipo... É comum dizer que um Maçom de fato não mata nem uma mosca, pq ele valoriza a vida sob todas as formas... na prática isso é complicado quando vemos uma barata ou rato, eheheheh... mas muito das lendas envolvendo bodes e demais animais tinham o intuito de amedrontar para evitar ataques contra os irmãos... afinal, o medo era a melhor arma contra as massas na era medieval... simbolismos foram criados pq é um lugar onde se raciocina o tempo todo, por isso situações que aparecem se desenvolvem e são incorporadas no dia-a-dia de um Maçom com extrema facilidade... é um lugar onde exercitamos nosso modo de pensar, acima de tudo.

Como tudo na vida, existe a regra e existe a exceção. É dito que no Brasil existem cerca de 500 mil Maçons das 3 potências reconhecidas... só que na prática vemos muito mais gente... muita gente se faz passar por Maçon por N motivos, sempre mesquinhos e egoístas. Estas pessoas denigrem a Ordem e os valores lá praticados... elas se colocam como Maçons e praticam todo tipo de arbitrariedade, desonestidade e patifaria nas pessoas e instituições... e a Maçonaria ganha uma fama indevida... a gente chama esse povo de "goteira"... no Brasil deve ter 5x mais goteiras do que Maçons... Tb existem os maus irmãos, aqueles que por algum motivo se desviaram do caminho correto por conta de possibilidades de riqueza fácil, fraquezas e vícios.... quando detectamos um comportamento assim, nós agimos como um irmão age... com entendimento, estendendo a mão, tentando entender pra poder ajudar... a maioria consegue melhorar, mas os que permanecem no escuro da ganância... tendem a sair da loja, seja por vontade própria, seja de modo compulsório...

A ação dos goteiras é tão indecente que eles ficam desesperados pra encontrar Maçons legítimos, visando tentar arrancar alguma coisa deles, algum sinal ou palavra, ou mesmo um comportamento...  Alguns goteiras tendem a "criar" sua própria Maçonaria, arregimentando incautos e inocentes que acham que estão entrando em algo legítimo, sem se tocarem que aquilo ali é apenas uma fachada para atender a interesses pessoais... Nestas "lojas", é permitido quase tudo que nas lojas reconhecidas é proibido... eles querem facilitar a entrada de pessoas pq elas pagam uma mensalidade que vai pro bolso dos criadores... confeccionam vestimentas, montam todo o simbolismo nos salões como se fosse uma loja de verdade... mas é apenas um concluio de interesseiros... pq eles não conseguiriam frequentar as lojas maçônicas reconhecidas por 1 mês, já que o propósito delas é outro e passa muito longe do lado financeiro...

Na época dos Templários, eles se tornaram administradores de uma área em constante guerra. Eles modernizaram uma sociedade pré-existente para algo que fazia os reinos europeus ficarem ruborizados.. pq lá não existia nada que pudesse se converter em dinheiro... Jerusalém foi formada num dos locais mais pobres do planeta, em se tratando de recursos... sem metais, sem petróleo, sem campos de cultivo... e mesmo assim fizeram uma cidade próspera por décadas. O Maçom vive para praticar o que aprende e desenvolve em loja, é um indivíduo que preza a família e o trabalho sempre, que tem a sua fé pessoal e de fato acredita no poder da boa influência, da ajuda e da solidariedade. Não existem Maçons perfeitos, sem erros... o que existe aos montes é Maçom que erra em busca de evolução, pra que um dia ele pare de errar.
avatar
Mazikamno

Mensagens : 232
Data de inscrição : 23/09/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Mazikamno em Seg Out 20, 2014 9:41 am

É verdade, você tem razão Borg. O termo correto é esse mesmo, "desmistificar". Tenho que respeitar a palavra. Erro meu.

No entanto, eu entendo perfeitamente que a popularização(ela mesma, de uso correto, hehe) é prejudicial para a essência, até respondi isso para a tandra, nesse mesmo tópico, na primeira página.

E usei o termo de maneira errada ao dizer que está tendo uma popularização superficial, apenas para tirar o medo. Na verdade está tendo uma tentativa de desmistificação, para tirar o medo e o preconceito e talvez algo mais que ninguém sabe.

Porém pouco está sendo revelado nesta abertura maçônica. Como você mesmo falou, de maneira prosaica então, ser maçom não seria nada diferente do ser evangélico ou ser católico. Quem se predispõe a seguir o ensinamento de uma religião dessas que citei, a grosso modo como é ensinado, também, necessariamente estará no caminho do bem, do fazer o bem, de ajudar o próximo, de alguns rituais, etc.

Quando falei de rituais de sangue, foi só uma hipótese, nada de concreto, só que o ritual que eu me referia, não envolvia mortes, e nem animais. o sangue seria dos próprios irmãos. Como se fosse um pacto de sangue entre irmãos. Você diz que não fazem, quem sou para contestar. Mas não seria nenhum absurdo se fizessem.

Por exemplo, citando a Bíblia: muito da Bíblia é interpretado ao pé da letra e outras coisas não. Ao pé da letra a Maria engravidou do espírito santo, Jesus ressuscitou um morto, fez paraplégico andar, cego enxergar, etc. Uma das coisas que não são levadas ao pé da letra é a Santa Ceia. Mas se eu resolvesse assim fazer, eu poderia afirmar que lá existiu um pacto de sangue, e o vinho lá, não era símbolo, era sangue mesmo e sangue de Jesus.

Claro que isso pode soar como uma blasfêmia, mas não para mim, pois quando há interpretação, há também possibilidades; e por que na maçonaria isso não poderia existir também? Por isso eu cogitei a ideia, mas sem preconceito.

Sei que se a intenção é desmistificar, então é importante manter o sangue bem longe dessa história, hehe. Mas como falei, muita pouca coisa está sendo dita e se eu algum dia ingressasse em uma sociedade secreta milenar, e eu esperaria muito mais do que isso.

Vou começar com uma estória depois digo o que eu esperaria, talvez algo se encaixe nessa doutrina.

A estória é a seguinte:

Uma mulher estava preparando um peru e ao prepará-lo ela retirava as pernas do peru.
Ao ser questionada sobre o porquê disso, ela respondeu que era assim que a mãe dela fazia.
Resolveram então perguntar para a mãe dela. A mãe dela respondeu que era assim que a vó dela fazia.
Resolveram então perguntar para a vó. E esta acabou com as dúvidas, ao responder que: como sua panela era pequena ela teve que retirar as pernas do peru para que o mesmo coubesse dentro da panela.
Ou seja, não tinha nada a ver com sabor, ou receita.

Eu, ingressando em uma fraternidade secreta, esperaria que a história fosse contada da maneira correta, que fosse revelada a razão de algo ou de uma crença ser assim hoje. A exemplo da receita que não era receita. E a partir disso abranger diversos temas como:

Estamos aqui por quê?
Como indivíduos somos importantes ou para o universo é apenas a coletividade que conta?
Não interessando como se vive, como se morre e com quantos anos se morre.
Eu imagino uma resposta, mas é totalmente desesperançosa para nós. Se eu compreendesse ela totalmente, o passo para o suicídio estaria dado!

Essa questão mesma do suicídio seria outra crença que talvez me bloqueasse, mas porque ela foi criada? Eu também imagino a resposta. Mas nada posso afirmar como verdade.

Gostaria de entender os símbolos, os rituais. Eles tem mesmo importância? Eles conseguem mexer com o ser? Por exemplo, um ritual onde a pessoa se ajoelha, com capuz na cabeça, colocam uma espada do lado esquerdo ou direito, fazem outras coisas mais. Isso mexe com o indivíduo?
Parece que é necessário uma sensibilidade enorme para entender e sentir o significado disso.

Iria querer uma busca pela consciência, pelo despertar. Esperaria por exercícios e técnicas relacionadas a isso.

Iria querer o aprofundamento sobre o entendimento das leis do universo, quais são elas, as que não podemos escapar.

Iria querer saber se existem poderes para o homem. Poder da palavra, poderes da telepatia, poder da materialização e outras coisas mais. A exemplo dos templários, o Demolay lançou uma maldição que teve efeito. É possível isso? Ou é só um símbolo?

Iria querer entender os números, as letras, sua origem.

Enfim, vários temas, hehe. Cara curioso hein!

O texto não termina, hehe:

Eu entendi a relação e diferenciação dos maçons. Sobre os goteiras, aqui eu acredito que não sejam, mas não posso afirmar. Que eu sei existem dois templos na cidade. Como a cidade é relativamente pequena, 200mil, é fácil identificar os maçons. Será que todos são goteiras. Que os templos são de goteiras?
avatar
morpheus

Mensagens : 276
Data de inscrição : 29/09/2014

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por morpheus em Sex Out 24, 2014 10:14 am

interessante esse texto sobre os templários.
A ligação entre os Templários e a Maçonaria é uma questão complexa. Muitos estudos já foram feitos e muitos livros já foram escritos, mas, até onde sei a Maçonaria não se declara oficialmente descendente ou herdeira dos Templários, esta ligação, se existe, é muito mais subjetiva do que amparada por fatos ou documentos. A pergunta que sempre me faço é: Se a Maçonaria não se declara herdeira dos Templários, de onde vieram as especulações a esse respeito?

Tenho ainda outro ponto de duvida, ja ouvir dizer, que a maçonaria tem ligação com o santo graal, laaa no seu inicio, alguém poderia dizer sobre isso com mais clareza? e até onde sei nem mesmo os maçons sabem ao certo a exata origem da maçonaria

Conteúdo patrocinado

Re: Por que se teme a sexta-feira 13?

Mensagem por Conteúdo patrocinado


    Data/hora atual: Ter Nov 21, 2017 3:24 am